24 fevereiro 2009

QUEM É ESSE ANJO?

Que me proteje à distância,
Que por mim teme,
Que por mim ora,
E espera, eu comprenda,
Um sentido maior
De viver

Quem é sse anjo?
Que ã distância chora
E me espera entender
Quem é....
Quem é que suporta,
O que em mim há de pior.

Quem é
que me diz não,
sabendo do meu querer.
Quem é
Que me dá a certeza,
Do quem em mim há de melhor

Quem é
Que me aguarda
Sabendo do meu vacilar....
Quem é,
Que sabe da minha resignação,
E que sabe da minha revolta

Quem é
Que sabe porque eu parti,
Mas deixa aberta a porta,
E diz:
- Eu sei. Ela volta!
Quem é esse anjo?

Quem é?
Que tem mais certeza
de mim que eu,
Cuja única coisa, sei:
- É você, anjo meu.
Que me proteje à distancia

Por Doris Arruda Ribeiro da Costa

Esse texto foi escrito por um grande amiga da faculdade, que eu tive o privilégio de apresentar Jesus a ela. Na noite de 9/5/99 enquanto não dormia, ela o escreveu e me entregou no dia seguinte. Foi um insight das conversas que tivemos, disse-me ela. Obrigada Dóris!

16 fevereiro 2009

INDIGNAÇÃO TOTAL A TROTES

O texto abaixo, foi escrito por uma amiga muito querida, Maria Tereza Marani. Sou solidária a tudo o que ela escreveu e portanto, registro aqui com ela, nossa indignação.

"Muitas coisas me indignam e como grande parte da população, me assombro momentaneamente, depois passa, até uma próxima notícia estarrecedora de violência, miséria, desvio de dinheiro, egoísmo, roubos de várias formas, etc... dando cada vez mais a dimensão da minha impotência diante de fatos, repetidamente injustos. Não conheço alguém influente, não sou considerada importante, nem nada, apenas cidadã, que já está cheia de tanta injustiça.

Mas a indignação tomou uma forma gigantesca dentro de mim, diante dos trotes aplicados por algumas faculdades. Tentei não ouvir, nem ver a notícia na sua totalidade, para não me ferir, mas não adiantou. Talvez eu me sinta parte dessa sociedade que já está cansada de ver a velha e conhecida impunidade caminhar sem limites.

Não me conformo com a passividade das instituições de ensino, com letra minúscula mesmo, sendo conivente com essas atitudes, ano após ano. Famílias já perderam seus filhos, alguns já sofreram graves queimaduras, intoxicados, alcoolizados até o coma, humilhados, e muitas outras coisas inconcebíveis. MAS NÃO É A FALTA DE EDUCAÇÃO, A RAZÃO DE VIVERMOS NUMA SOCIEDADE COM TANTOS PROBLEMAS, O QUE USUALMENTE ESCUTAMOS E CONCORDAMOS? Eu também creio, mas estamos vendo que é muito, muito mais que isso.

Penso que a maioria dos jovens que entra em uma faculdade, sonhou com esse momento e junto com eles suas famílias. Batalharam em cima de livros e estudos, e como PRÊMIO, recebem esses trotes, de pessoas, veteranos, pessoas que já “alcançaram maior nível de educação”, com procedimentos semelhantes a marginais drogados, sem qualquer consideração, com atitudes cheias de um ódio sem qualquer razão. Ano após ano, as situações se repetem. E eles, os calouros, passivamente tem que se submeter, sem qualquer defesa. Mesmo as “inocentes” brincadeiras nos faróis... que falta de criatividade! Qual a motivação? Qual a graça nisso?

Acredito que não são todos os trotes da mesma forma. Há vida inteligente e de visão entre os “veteranos”. Há alguns anos uma faculdade instituiu o trote solidário – servir em alguma comunidade carente... me deu uma sensação de que o mundo poderia melhorar. Nunca mais ouvi tal coisa. As Instituições de ensino que permitem ou pelo menos fazem vistas grossas a esse tipo de trote devem ser punidas, esses alunos também, exemplarmente punidos também, por essas mesmas instituições e mesmo impedi-los de concluir os cursos, livrando a sociedade de futuros profissionais doentes, de-formados.

INDIGNAÇÃO TOTAL A ESSA FORMA HUMILHANTE E DESUMANA NA RECEPÇÃO A CALOUROS. PAIS, TIOS, TIAS, AVÓS, IRMÃOS, AMIGOS, CIDADÃOS, GENTE DO BEM, EXIJAM QUE SEUS MENINOS E MENINAS SEJAM TRATADOS COM RESPEITO, CONSIDERAÇÃO E... UMA COISINHA BÁSICA: CIVILIDADE"

“De tanto ver crescer a INJUSTIÇA, de tanto ver agigantar-se o poder nas mãos dos MAUS, o homem chega a RIR-SE da honra, DESANIMAR-SE de justiça e TER VERGONHA de ser honesto”.
Rui Barbosa

15 fevereiro 2009

Água no deserto.

Deus te criou
E ele viu que era bom
Deu-lhe o primeiro presente
Um ramo de Oliveira.

Sua mãe se encheu de alegria
Seus olhos não se cansavam de te olhar
Ela a beijou e te presenteou
Oferecendo-te de volta a Deus.

Um anjo
Traz as boas novas
Você é Escolhida
Presente a sua mãe.

Sobressaltada; acorda
Fixamente te observa
Você dorme como um passarinho
Passarinho crédulo e feliz.

O passarinho cresceu
Aprendeu voar e cantar
Voa pelo mundo livre
Cantando as boas novas.
.
O seu cantar e como água
Água arrebentada no deserto
Trazendo as Boas Novas
Transformação de serpente em passarinho.



Dedicado a Ieda Maria de Oliveira
Por Elda