25 julho 2009

CIRURGIA DOS OLHOS

Ontem, fiz uma cirurgia nas vistas. “Personalizada” disse o médico. Há mais de 8 anos, fui operada das vistas para tratar de hipermetromia. Na época, só existia cirurgia para miopia. No processo da cicatrização, formou-se como que queloides, que trocando em miúdos, me deixava com instabilidade de visão que não se corrigia com o uso de óculos. Por mais que eu aumentasse o grau eu tinha instabilidade para enxergar.

Na cirurgia de ontem, o oftalmo “raspou” a parte lesionada antes de aplicar o laiser, para tirar as imperfeições da cicatrização. É um procedimento indolor, no momento, mas depois, torna-se algo insuportável: Ardência, dor, vermelhidão, intolerância à luz. Enfim, quase 8 horas depois eu consigo abrir os olhos sem dor e estou escrevendo com a fonte número 28 pra poder enxergar.

Enquanto eu dormia e acordava, em função dos analgésicos, eu pensava como que às vezes, é preciso acontecer algo semelhante na vida. Ao longo da vida, vamos “acumulando” muitas experiências e a leitura que fazemos dessas vivencias, ao final de tudo, resultam no que somos, nossas crenças e valores. É madura a pessoa que consegue, “modernizar” essas vivencias, reformulando-as, atualizando-as, enfim, que consegue fazer uma re-leitura do passado, de modo a substituir conceitos equivocados, distorcidos, mais próximos à realidade mesma.

Às vezes, é preciso um “ato cirúrgico” para “limpar” a visão, desembaçar o olhar. Muitas leituras que fiz de alguns episódios do passado foram tão distorcidas, conclusões tão equivocadas que trouxeram mais dor do que a própria experiência em si mesma.

Interessante, que às vezes, Deus nos permite viver algumas dores, algumas decepções a fim de nos mostrar a realidade da vida como ela é e não como fruto de desejos inconscientes, muitas vezes, projeções. A perda de meu pai e outras perdas significantes que tive nesses últimos meses, ajudou-me a enxergar a vida mais como ela é. É muito fácil e tentador esconder por trás de eventos, enxergando-se mais como vítimas, quando na realidade cada um de nós tem a opção de receber o que a vida oferece como uma oportunidade para se olhar e se perceber tal como se é.

Adultecemos na medida em que tomamos os eventos da vida, mesmo aqueles que foram injustos, maldosos, e os transformamos em “adubo”. Não podemos decidir o que outros farão em nosso favor ou contra, mas podemos optar no que fazer com essas experiências. Amargá-las ou usá-las para nosso enriquecimento.

Jesus uma vez disse: “o olho é a luz do corpo. Se teu olho é são, todo o teu corpo será iluminado”. Que Deus me ajude a não ser preciso passar pelas cirurgias da vida para enxergar o que está ai para ser visto e concluido.