29 dezembro 2009

A MELODIA DA VIDA

Quase diáriamente, recebo mensagens em Powerpoint e quase sempre as leio. Algumas profundas, outras pura bobagens. Essa em especial achei muito joia porque tem tudo a ver comigo nesse momento. Sinto-me em "pausa" e enquanto ela ocorre, vejo que tantas coisas novas estão nascendo em meu coração. Posso olhar nesses momentos para mim mesma e ver que o Grande Maestro da vida, decidiu dar-me uma pausa. Eu a aceito!
"Na pausa não há música, mas a pausa ajuda a fazer a música”.
Na melodia da nossa vida a música é interrompida aqui e ali por "pausas’...
E nós, sem refletirmos, pensamos que a melodia terminou.
Deus, nos envia às vezes, um tempo de parada forçada.
Pode ser uma provação, planos fracassados, ou esforços frustrados.
Mas na verdade, é preciso fazer uma pausa.....
E se faz uma pausa repentina no coral de nossas vidas.
Mas, como é que o maestro lê a pausa?
Ele continua a marcar o compasso com a mesma precisão
e toma a nota seguinte com firmeza, como se não tivesse interrupção alguma.
Deus segue um plano ao escrever a musica de nossa vida.
A nossa parte deve ser aprender a melodia e não desmaiar nas "pausas".
Elas não estão ali para serem passadas por alto ou serem omitidas,
nem para atrapalhar a melodia ou alterar o tom, e sim para aprimorar.
Se olharmos para cima, Deus mesmo marcará o compasso para nós.
Não nos esqueçamos contudo, de que ela ajuda a fazer a musica.
Com os olhos nele, vamos ferir a proxima nota com toda clareza
sem murmurarmos tristemente : na pausa não há música.
Lembre-se, a pausa não dura muito,
é apenas um tempo suficiente para que você se renove e continue."

13 dezembro 2009

HÁ UM ANO VOCÊ SE FOI!

Hoje está fazendo um ano que meu pai faleceu. Morreu aqui para esse mundo, mas aqui dentro do meu peito está a saudade que ainda dói. Como me faz falta! Sua visão de mundo às vezes tão diferente da minha, suas convicções tão firmes, sua fé acima de qualquer circunstância servia-me de âncora, de um porto seguro. Mas ele se foi!
Fico com a saudade e com o legado que ele me deixou.
Obrigada Deus por permitir-me desfrutar de meu pai durante todo esse tempo. Ensina-me a viver como ele viveu;
que no final da vida, fraco e fragilizado disse-me:
Eu não perdi a Fé!